Notícias
 
( 06/10/2017 ) Rede Ecovida define agenda para os próximos dois anos
 

Capacitação dos membros da comissão de ética dos grupos e região onde será o 11º Encontro Ampliado foram alguns dos principais pontos decididos.

Intensificar o treinamento do olhar externo dos membros dos comitês de ética, reforçar as finanças da rede e encaminhar a organização do Encontro Ampliado de 2019, foram algumas definições da Plenária de Núcleos da Rede Ecovida de Agroecologia nos dias 2, 3 e 4 de outubro em Torres, Litoral Norte/RS. Em dois dias e meio, 83 representantes de 27 núcleos de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul e um do Sul de São Paulo debateram também, entre outros pontos de pauta, a informatização da rede, o site, uso e multiplicação de sementes crioulas e orgânicas, agroextrativismo sustentável e agricultura biodinâmica.

Na avaliação de Ivo Severino Macagnan, da coordenação, o reforço da capacitação dos representantes dos comitês de ética de cada grupo de agricultura ecológica é um dos pontos mais significativos para o próximo biênio. Para isso, estão previstas 11 oficinas, para 407 pessoas. Cada grupo que participa da Rede Ecovida vai ter o seu representante do comitê de ética sendo capacitado pra fazer o olhar externo, o que vai melhorar muito os fluxos de informação dentro da Rede Ecovida e para o consumidor final do produto orgânico, que vai ter uma garantia bem melhor de que os produtos cumprem as regras da produção orgânica, detalhou Ivo.

Outro ponto destacado pelo agrônomo foi a sustentação financeira por meio de um reajuste da anuidade das famílias – de R$ 50 reais para R$ 100 reais. É um reajuste forte, para sustentar em parte as atividades da rede. Como exemplo do uso das finanças, Ivo falou sobre o próximo encontro ampliado, a ser realizado no Oeste catarinense, nas cidades de Xanxerê, Chapecó ou São Miguel do Oeste, onde 50% do orçamento deve ser coberto pelas anuidades das famílias. Do 10º Encontro Ampliado, em Erexim, participaram mais de 1,5 mil pessoas.

Da plenária em Torres, participaram os núcleos:


    De Santa Catarina:

  • Alto Vale do Itajaí, Litoral Catarinense, Noroeste Catarinense, Planalto Norte, Planalto Serrano, Serra Mar, Sul Catarinense, Vale do Rio Uruguai, Vale do Rio do Peixe e pré - núcleo Vale do Itapocú;


  • Do Rio Grande do Sul:

  • Alto Uruguai,Missões, Planalto, Serra, Vale do Caí, Vale do Rio Pardo, pré- núcleo Sudoeste Gaúcho e Litoral Solidário;


  • Do Sul de São Paulo:

  • Agroflorestal (SP/PR);


  • Do Paraná:

  • Libertação Camponesa, Luta camponesa, Maria Rosa da Anunciação, Maurício Burmeister do Amaral, Monge João Maria, Oeste do Paraná, Sudoeste do Paraná e Peroba Rosa.



  • Grupo visitou cooperativa de consumidores
    No final do segundo dia da plenária, um grupo de representantes visitou a cooperativa de consumidores de produtos ecológicos Ecotorres. Disseram que era interessante de se ver uma experiência bem-sucedida e a gente comprovou que é isso, uma grande variedade de coisas, observou Vilson Luiz Stefanoski, do pré-núcleo Sudoeste Gaúcho. Formado por 24 famílias, o núcleo produz hortaliças, arroz, frutas, mel, grãos e tubérculos, comercializados nas feiras orgânicas de Porto Alegre. É, segundo o agricultor, uma variedade limitada de produtos, que poderia ser ampliada e oferecida para a população da de Guaíba e Barra do Ribeiro com uma iniciativa no modelo da Ecotorres.

    Para a agricultora Roselei Aparecida Wille Anchieta, do núcleo Vale do Rio Uruguai, no Extremo Oeste de SC, os produtos de agroindústrias ecológicas, como a biomassa da banana, foram aspectos que mais chamaram a atenção. A gente tem muita banana em certos períodos e deixa tudo amadurecer e acaba perdendo. Então olha, é uma alternativa.

    Já a técnica do Centro Vianei de Educação Popular, no núcleo Planalto, Carolina Couto Waltrich, levou muitas fotos e informações para mostrar aos consumidores de Lages que, junto com agricultores da rede, é possível organizar uma loja e um café orgânicos. Lages tem algumas lojas já com orgânicos, mas não com consumidores na frente.

    Já a técnica do Centro Vianei de Educação Popular, no núcleo Planalto, Carolina Couto Waltrich, levou muitas fotos e informações para mostrar aos consumidores de Lages que, junto com agricultores da rede, é possível organizar uma loja e um café orgânicos. Lages tem algumas lojas já com orgânicos, mas não com consumidores na frente.


   
 

Cursos

18/10
Curso Princípios Básicos de Agricultura Ecológica - em cinco etapas
25/10
Plenária do Núcleo Litoral Solidário da Rede Ecovida de Agroecologia


 

Ipê-Serra - Rua Luiz Augusto Branco, 725 - Bairro Cruzeiro / Cep: 95.240-000 / Ipê - RS / Fone: 0xx (54) 3233.16.38 / E-mail: serra@centroecologico.org.br
Litoral Norte - Rua Padre Jorge, 51 / Cep: 95.568-000 / Dom Pedro de Alcântara-RS / Fone/fax: 0xx (51) 3664.02.20 /E-mail:litoral@centroecologico.org.br